A Psicologia do Amor


Amor… Muito pode ser dito neste campo mas vou tentar ser sintético.

O amor é a conjunção de vários factores biológicos e sociais. Há várias formas de amor, desde amor inter-pessoal ao tipico amor associado há paixão. Abaixo vou tentar abordar algumas formas do mesmo:

Atracção física

A atracção física é a necessidade intrínseca que o ser humano tem pelas relações sexuais, pelo prazer e pela continuação da nossa espécie.

Paixão

A paixão é um sentimento fortíssimo que eventualmente se pode tornar numa obsessão. Em certas circunstancias o individuo pode tornar-se menos racial priorizando o interesse pela pessoa ou objecto que o fascinou. Em situações extremas a pessoa pode tornar-se completamente irracional e obcecada tornando-se assim uma patologia oriunda do amor.

Amor Interpessoal

Este é o amor entre seres humanos. Mais forte do que simplesmente gostar de uma pessoa. Acaba por criar uma necessidade de agradar à outra pessoa. Amor como este pode existir entre familiares amigos e casais. Há também vários de distúrbios psicológicos relacionados ao amor, como erotomania.

  • Sentimentos frequentemente associados ao amor interpessoal:
    • Carinho: sentimentos de ternura e/ou necessidade de proximidade física
    • Atracção: satisfazer necessidades básicas fisicas e/ou emocionais
    • Altruísmo: o sentimento de preocupação para com a outra pessoa
    • Compromisso: desejo reciproco de manter o amor
    • Intimidade emocional: a troca de emoções e sentimentos pessoais
    • Amizade: relação afetiva sem características românticas entre duas pessoas
    • Parentesco: laços familiares
    • Paixão: desejo constante, sentido via modificação do ritmo cardíaco
    • Intimidade física: compartilhamento do espaço pessoal e íntimo

Eros

Eros é o amor apaixonado, com desejo e atração sexual. Embora o eros seja sentido inicialmente por uma pessoa, com contemplação transforma-se em apreciação da beleza interior dessa pessoa, ou transforma-se mesmo em apreciação da própria beleza. É também usado como forma de descrever o prazer entre homem/mulher. O inverso é chamado de Psique, que representa o sentimento mais espiritual e profundo.

Philia

A meu ver é a mais perfeita forma de amar. Consiste em ser altruista e entregar-se totalmente há sua relação e não se importa de abrir mão de certas vontades de forma a agradar há pessoa amada. Investe constantemente na sua relação mesmo que o amor não seja reciproco. Em casos extremos, a pessoa em causa é mesmo capaz de renunciar a pessoa amada se acreditar que ela pode ser mais feliz com outra pessoa.

Estilos de Amor

A Escala de Atitudes Amorosas (por Susan Hendrick e Clyde Hendrick) é baseada na teoria de Alan John Lee, chamada Estilos de amor. Na escala foram identificados seis tipos básicos.

  • Eros – um amor apaixonado fundamentado e baseado na aparência física
  • Psique – um amor “psicológico”, baseado na mentalidade e nos sentimentos eternos
  • Ludus – o amor que é utilizado como um jogo; amor brincalhão
  • Storge – um amor afetuoso que se desenvolve lentamente, com base em similaridade
  • Pragma – amor pragmático, que visualiza apenas o momento e a necessidade temporária, do agora
  • Mania – amor altamente emocional, instável; o estereótipo de amor romântico
  • Agape – amor altruísta

De acordo com a pesquisa de Hendrick e Hendrick, os homens tendem a ser mais lúdicos e maníacos, enquanto as mulheres tendem a ser stórgicas e pragmáticas. Relacionamentos baseados no amor de estilos semelhantes tendem a durar mais tempo. Em 2007, investigadores da Universidade de Pavia liderados pelo Dr. Enzo Emanuele forneceram provas da existência de uma base genética para variações individuais verificada na Teoria dos Estilos amorosos de Lee. O Eros relaciona-se com a dopamina no sistema nervoso e a Mania à serotonina.

O amor acaba por ser perfeito e imperfeito, pode ser quase como um veneno para a nossa vida psicologica e emocional. No entanto quando acontece devemos dar-nos a nós mesmos a oportunidade. Todos sofremos desgostos amorosos, no entanto é, provavelmente, uma das melhores coisas que nos pode acontecer. Sabermos que temos alguém disposto a amar-nos e a compartilhar connosco parte dela própria é no mínimo um anti-depressivo natural além de necessário à nossa própria existência.

15 Responses to “A Psicologia do Amor”


  1. 1 Rita Agosto 16, 2010 às 10:05 am

    e kuando a pessoa k eu quero diz que n gosta de mim e eu sei k isso é mentira? k faço eu?

    • 2 Perfect Harmony Agosto 16, 2010 às 10:07 am

      Rita para já tens de ponderar que a pessoa em causa pode realmente não gostar de ti como tu gostas dela. No entanto se encontras sinais de que essa pessoa realmente te ama mas que por algum motivo te está a evitar, começas por descobrir qual o motivo. Depois de descoberto resolves-o e/ou fala directamente com a pessoa, dizes como te sentes e o quanto gostas dela. Claro que isto pode resultar em nada mas se essa pessoa realmente gosta de ti ela pode aperceber-se que está errada.

      • 3 Rita Agosto 16, 2010 às 10:10 am

        eu sei pk é k ele dix k n gosta de mim
        mas é complicado😦

      • 4 Perfect Harmony Agosto 16, 2010 às 10:12 am

        Rita não leves a mal o reparo mas tenta escrever um bocadinho melhor, é que demoro bastante a perceber o que escreveste😦
        Bem se quiseres que te tente ajudar vais ter de me explicar a situação ou aqui no blog ou por mail.

  2. 5 Rita Agosto 16, 2010 às 10:17 am

    tipo, nos temos laços mais fundos que apenas amigos
    e ele n quer que toda a gente saiba mas eu também n quero😦

    • 6 Perfect Harmony Agosto 16, 2010 às 10:25 am

      Basicamente o que me estás a dizer é que são da mesma familia? Bem isso torna as coisas mais complicadas :S
      Na situação de primos é relativamente comum então vamos por aí. Moralmente é errado aos olhos da sociedade qualquer relação entre laços de sangue mesmo que longiquos, no entanto pela tua forma de escrever calculo que tenhas uns 19 ou 20 anos e calculo que ele seja um pouco mais velho. Por isso como adultos são livres de tomar decisões desde que não vão contra a lei. Acho que o melhor que tens a fazer é falar directamente com ele e explicares-lhe o que sentes quanto ao vosso problema. Diz-lhe o quanto te preocupas com ele e o quanto gostas dele. Sê honesta com ele mas essencialmente contigo, a decisão que vocês tomarem deve ser definitiva e aquela pela qual vocês lutarão. Acima de tudo (se não vai contra nenhuma lei) e se o problema é a sociedade mandem a sociedade á m**** pois ela não se vai importar com vocês nunca nem em caso algum excepto para criticar.

      Já agora como conheceste o site?

      • 7 Rita Agosto 16, 2010 às 10:27 am

        como é que sabes que somos primos? eu nem disse que somos da mesma familia :S:S:S
        e a minha idade? :S:S:S
        foi uma amiga k contou-me sobre ele

      • 8 Perfect Harmony Agosto 16, 2010 às 10:33 am

        Tu usas-te a palavra laços invés de relações por exemplo. Laços é normalmente usado em Português (não brasileiro) para definir uma relação de sangue com alguém. Quanto à tua idade é relativamente simples, usas uma variação de Miguxês com Internetês o que é frenquentemente usado em jovens da tua idade. As crianças mais novas usam o Neo-Miguxês mas isso não interessa.

  3. 9 Rita Agosto 16, 2010 às 10:36 am

    tu es muito inteligente :O
    nos somos primos de sexto grau😦
    obrigada pela ajuda vou tentar

    • 10 Perfect Harmony Agosto 16, 2010 às 10:37 am

      Hahahahahaha obrigado Rita.
      Se são primos em sexto grau quase já nem são primos.
      Boa sorte.

  4. 11 unknownactivity Agosto 17, 2010 às 9:23 pm

    Mano, fiz um trabalho À cerca deste tema! Se calhar ainda o consigo arranjar para te mostrar, tive uma nota altamente *.*

    hahahaha

    Abraço🙂

  5. 12 bields84 Agosto 22, 2010 às 4:54 am

    Olá passei aqui de novo para avisar que o blog de psicologia antigo saiu do ar devido aos muitos acessos simultaneos, entao, estou aqui pra te avisar do novo blog: ==> http://psicologiaparatodos.orgfree.com/blogpsicologia

    não esqueça de visitar! Pode esquecer o outro endereço!

    Abraços!!!!!!!!

    biel

  6. 13 Daniel Fevereiro 21, 2011 às 11:22 pm

    hey, vi que conseguis.te ajudar ai uma rapariga chamada rita e tava a pensar se me conseguias ajudar tambem basicamente, eu tinha uma “melhora amiga” e agente dava.se muito bem, ela tinha má fama entre outras pessoas mas eu sempre a defendi e a ajudei em momentos dificies, e isso inevitavelmente foi criando uma dependencia por ela da minha parte, eu sentia um forte amor por ela, uma coisa que nunca me aconteceu na vida, mas nao lhe revelei com medo de ser rejeitado, e um dia, ela deixou.me de responder as mensagens, aos telefonemas, a tudo o que viesse da minha parte, mas eu pensei que ela tivesse simplesmente mal (ela teve uma depressao 1 ano antes da a conhecer) e que aquilo eventualmente ia lhe passar, mas nao passou… um dia consegui que ela viesse ao cinema comigo, e eu sou uma pessoa muito brincalhona por isso pra deixar o ambiente mais leve disse umas piadas, sem querer e sem saber magoei.lhe um pouco os sentimentos. ela nunca mais me disse uma palavra, eu andei muito mal. um certo dia, ganhei coragem e foi comprar um ramo de flores, nem olhei qe flores eram, mas julgo que fosse rosas entra outras, e fui lhe entregar a casa, pra meu azar ela nao estava em casa mas tava a mae, dois dedos de conversa dopois deixei as flores la e segui caminho feliz. ela mando.me uma mensagem mais tarde a dizer que eu merecia ser perdoado, e que agradecia as flores… e pensei que tudo estivesse passado, mas nao passou, ela continuo a evitar.m e a ignorar.me… andei muito mal durante dois ou tres meses, tentei suicidar.me 2 vezes mas sempre interrompido e impedido… muitos amigos meus disseram “epa esquece.a! ela tava mesma parva! nao vale a pena!” etc… e passados seis meses aqui estou eu, a minha dor ainda nao passou por completo, mas ainda sinto a marca dela… enfim, queria saber se nao tinhas algum conselho sobre o que fazer pra eu conseguir seguir enfrente e nunca mais sentir nada sobre ela. obrigado🙂

    • 14 Perfect Harmony Fevereiro 22, 2011 às 2:21 am

      Olá Daniel,
      há varias partes da história que tenho interesse em entender melhor… Antes de tudo pergunto-me porque deixou ela de responder ás tuas tentativas de aproximação. Foi algo que aconteceu entre vós? Quando duas pessoas dependem uma da outra é estranho e anormal uma separação repentina e sem motivo.
      Tentaste alguma vez confrontá-la? Tentares entender o que se passou?

      Quanto há tentativa de suicídio na minha opinião é o acto dos cobardes. Sim Daniel, compreendo que não será certamente uma situação fácil mas será a única hipótese acabares com a tua própria vida prematuramente? Achas que fugires da dor tal como ela o fez te irá ajudar? A dor ajuda-nos a crescer.

      Por fim, um conselho para seguir em frente? Talvez seja o mais simples. Apenas segue em frente. Não a tentes esquecer. Não a esqueças. Para o bem e para o mal ela foi alguém importante na tua vida, por isso não a deves esquecer mas sim aprender com o que se passou. Acima de de tudo deves manter os teus sentimentos abertos. Não caias na tentação de te fechares numa caixinha e com isso afastares quem gosta de ti. Desabafa quando o tens de fazer, conhece novas pessoas e deixa-te levar pelo bom ambiente.

      É o melhor conselho que te posso dar e se o seguires acredito que será mais fácil encarares os problemas.

  7. 15 Daniel Fevereiro 22, 2011 às 3:40 pm

    eu ja ultrapassei o suicidio a muito tempo com isso nao á preocupaçao. na verdade é que eu nao sou o primeiro, eu vi rapazes a irem atras dela devido a grande aproximaçao que ela fazia, e eu sempre disse “ah que parvos, nao vao conseguir nada” mas aprendi que fui mais um palhaço. eu percebo a necessidade que as pessoas tem de um dia mudarem de pele e deixarem tudo pra tras, mas nunca percebi porque que é que é eu, alguem muito proximo dela fui deixado para tras, ela tambem tem uma melhor amiga mas essa nao foi deixada para tras, ate ficaram mais proximas.eu passo a explicar alguns eventos que pra mim foram os mais importantes: o ano (lectivo) passado, fomos ao baile de finalistas, e a melhor amiga dela ate nos deixou a sós, mas ela afastou.se e nessa noite soube que ela disse a melhor amiga que nao queria nada mais que a minha amizade, a partir dai apesar da forte atraççao que tinha controlei.me e nao tentei mais nada com ela. mas o momento que ela mudou, pra mim foi este: o verao passado ela foi para o norte de ferias com a familia, e eu fui para a ericeira com amigos. ela encontro um rapaz e comecou a namora.lo, eu sendo amigo, apesar de um certo ciume, dei.lhe o meu apoio e satisfaçao, ela ficou contente, eu passado umas semanas conhecei uma rapariga e comecei a namora.la e contei.lhe que tinha conhecido uma rapariga etc… ela contou.me que teve quase ter sexo com o tal rapaz, so que ela nesse momento tava com o periodo e nao pode. por outro lado eu tive a minha 1ª vez com a rapariga que conheci, e obviamente que lhe fui contar uma vez que eu sentia quase obrigado por sermos tao proximos. a partir desse dia ela nunca mais foi a mesma, nunca mais a vi “normal”. eu nao sei onde errei, pensei que ela estaria feliz por mim ou assim, mas em vez disso parece que recebi um onda de odio. eu disse isto a umas amigas delas e elas disseram “epa se calhar ela sentia algo por ti” o que nao percbo é como é que alguem que numa noite diz que nao quer nada senao amizade e noutro dia tem atitudes que me leva a crer que afinal sentia, apesar de ter tido a oportunidade (quando me aproximei mais) a partir dai o resto ja se sabe… é verdade a dor ajuda as pessoas a crescerem, mas eu so gostava de mesmo depois de isto ter acontecido eu estar bem com ela, mas acho que isso talvez seja a minha dependencia dela a tentar se agarrar onde pode. isso de me fechar nunca caixa, eu nem sequer disse isso mas é o que tenho feito ate recentemente. eu passei agora para o 10 ano e estou agora no liceu. a minha turma é feita por 5 rapazes e 26 raparigas, por isso conheci muita gente mesmo, alias a minha turma tem muitos amigos de infancia que nao via a mais de 10 anos, as minhas notas nao sao as melhores mas sao o suficiente para conseguir passar. e agora passados estes meses todos a unica coisa que ainda me faz sofrer é ana, ou melhor as memorias “mortas” que ainda ca estao. obrigado🙂


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 168 outros seguidores

Calendário de posts

Agosto 2010
M T W T F S S
« Jun   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

RSS Aquela cena Chata

  • Ocorreu um erro; é provável que o feed esteja indisponível. Tente novamente mais tarde.

Visualizações ao blog

  • 54,257 visitas

%d bloggers like this: